quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

LULU SANTOS - EU E MEMÊ, MEMÊ E EU (remixes)


Capa

Dizem que o álbum do cantor Lulu Santos "Eu e memê, memê e eu" é considerado até o momento, um dos trabalhos musicais mais bem sucedidos no Brasil, na área de dance music cantada em português. Não se trata de um álbum exclusivo de remixes, mas é um álbum de canções pop que seguem uma linha de entendimento musical mundial. Produzido por Marcelo Memê Mansur (também conhecido como Dj Memê), este trabalho foi lançado em 1995. Gravadora BMG.

Detalhando as canções:

01 - Descobridor dos sete mares

Análise: Além de ter sido incluída como tema publicitário de uma marca famosa, a música fez um grande sucesso nas rádios e nos clubes de todo o país. A melodia dançante faz referência a disco music e possui o sampler da música "Disco inferno" lançada pelos The Tramps na década de 70 e que também foi outro grande sucesso. Essa música não se trata de um remix propriamente dito, mas uma regravação da versão original feita por Tim Maia.

02 - Se você pensa (nome do remix não foi creditado)

Análise: A melodia possui o sampler de "Long Train Runnin" de Doobie Brothers e influências do miami bass (no Brasil, erroneamente confundido com o funk carioca).


03 - Fulgaz (nome do remix não foi creditado)

Análise: A construção melódica dessa música possui acordes sofisticados e uma estrutura bem interessante. A música não é super dançante e também não chega ao ponto de ser um épico romântico mesmo que tenha sido tratada pelo público dessa forma, por apresentar uma variação musical em seu andamento que inclui saxofone e guitarra ao estilo wah wah. Particularmente é uma das melhores releituras musicais apresentadas nesse álbum. Destaque para os arranjos finais em que o ouvinte tem a impressão que a melodia esta sendo finalizada em direção ao além, permanecendo apenas os acordes do sintetizador.
Encarte 1

04 - Tribal (vinheta)

Análise: As vinhetas que aparecem nos álbuns lançados por artistas internacionais são bastante comuns, diferentemente, dos artistas brasileiros. É uma espécie de marca, faz parte do conceito artístico ao qual o álbum se propõe.

05- Sossego (nome do remix não creditado)

Análise: O remix para essa música não credita a utilização de sampler extraído da melodia "kiss" seja ela cantada por Prince ou produzida por Art of Noise feat. Tom Jones. A música é a regravação de um antigo sucesso do cantor Tim Maia. Ela possui uma marcação forte com destaque para os riffs de guitarra. Um remix diferente e criativo.

06 - Sereia
Análise: Não se trata de um remix. É uma balada pop e complementa o trabalho feito nesse álbum.

07 - Cyberia (instrumental)

Análise: Esse é um momento bem interessante do álbum e funciona como um divisor de conceitos. Em resumo, tudo o que você ouviu até agora navega pelo conceito pop e tudo o que você vai ouvir de agora até o final faz parte da linha dançante. A melodia foi toda produzida e creditada para Alkez (Alex de Sousa) e Sasha (Sasha Amback). Possui uma variação musical produzida pela sobreposição melódica de timbres plenamente sintetizados. Num clima musical que mistura expectativa e mistério é possível ouvir a vinheta " Tribal" (já comentada na faixa 4 do CD), alguns gritos e um efeito sonoro que lembra o trote de cavalos.
Muitos afirmam que o significado melódico dessa música tem o objetivo de dizer: - Acorde porque a cavalaria está passando!! (risos)
Verdade ou mentira a melodia é seguida por outra vinheta que destaca a própria voz do cantor Lulu Santos explicando o significado do remix.
Encarte 2 

08- Speech (vinheta)
Análise: Speech é uma palavra em inglês que significa discurso. E como foi anteriormente falado, trata-se de uma explicação sobre um dos entendimentos relativos ao remix.

09 - Casa (A house in the jungle remix )

Análise: É um dos remixes mais legais do álbum. O refrão da música utiliza arranjos no formato de loop (repetição) da frase: Eu tô voltando pra casa eu tô voltando.....(risos)
A melodia tem uma construção inteligente alternando timbres musicais épicos e uma variação harmoniosa aconchegante. A voz do Lulu Santos ajuda muito na interpretação dessa canção. Nota-se também a sonoridade de um piano que lembra o estilo musical da Italo House.

10 - Tudo bem (The R&B Flavor song)

Análise: R&B é a sigla da expressão americana para desiginar uma música ao estilo Rhythm and blues. E "flavor" significa em português algo como sabor ou tempero. Não é uma regra, mas a partir desse entendimento qualquer pessoa já pode ter uma ideia sobre as influências musicais apresentadas pelo remix da música que está sendo ouvida. A canção foi repaginada sem haver muitas interferências na sua estrutura. As influências do R&B proporcionam uma situação que no Brasil também é chamado por alguns de "charm" ao permitir que esse estilo musical possibilite movimentos dançantes com gingado ou fazendo charme.

11 - Perereca FM (vinheta)
Análise: Outra vinheta destacando um programa de rádio popular colocada propositalmente para anunciar a próxima música.
Encarte 3

12 - Toda forma de amor (Funk you mix /Rap do lu)

Análise: A introdução da música segue a sequência da faixa anterior. Sob a influência do Miami Bass (que no Brasil é chamado de funk) o remix segue o seu propósito e está mais ligado a galera carioca do que o Brasil como um todo. Mas isso não significa que a melodia seja ruim é apenas um estilo dançante diferente que o artista escolheu.

13 - Tudo Igual (Memê vocal club anthem)

Análise: Esse remix possui influências da dance music mundial praticado na época em que o álbum foi lançado. A palavra "anthem" é utilizada pelos ingleses para classificar uma melodia como se fosse um "hino musical". Trata-se de um remix sofisticado muito bem produzido. Possui um timbre de piano e de bateria que são considerados por muitos como um estilo clássico de composição melódica da house music. A música também aparece no single 12 de remixes que não foi oficialmente comercializado. Sendo distribuído apenas para djs. Em breve a capa do single exclusivo dessa música também será postado aqui.

14 - Assim caminha a humanidade (Extended 70´s mix)

Análise: Esse remix resgata uma situação que foi esquecida pela maioria dos artistas nacionais e do público brasileiro. Ou seja, a harmonia musical. Dizem que a diferença entre a cerveja e o vinho é que cerveja você toma e o vinho você aprecia. A característica dessa canção é justamente o fato de apreciar, degustar e curtir a composição melódica do inicio ao fim.
Não se trata de uma música para dançar e ir embora! Estamos falando de uma melodia que inicia com um arranjo instrumental de dois minutos plenamente influenciado pelos acordes da disco music. Na sequência, a parte cantada aparece, equilibrando melodia e letra sem pasteurizar o resultado final.
Sem dúvida outro grande momento desse álbum.
Encarte 4

15 - Tudo Igual (The Mameluco Homeboy mix)

Análise: Esse remix é um pouco engraçado pois pelo fato de utilizar um looping (repetição) com riffs jazzisticos do contrabaixo, para algumas pessoas ele tem um clima um tanto mafioso ou gangster, mas é uma impressão pessoal de cada ouvinte. O resultado é bem interessante.

16 - Tudo Igual (Cool cut mix)

Análise: Outra versão da música anterior, mas produzida pelo DJ Cuca. O remix traz uma atmosfera introspectiva mais para ser ouvida do que dançada. Aliás, é importante saber que nem tudo que parece dançante se dança. Afinal, nem tudo na dance music é feito para os clubs. A melodia segue um conceito linear ficando próximo ao hip-hop.

17 - Message (vinheta)
Contracapa
CD
* Este álbum também foi editado em vinil.

Lulu Santos e Dj Memê recebendo o disco de ouro/platina (imagem reprodução)

Um comentário:

Anônimo disse...

hmmmm muito legal!